Blog do José Roberto Duarte - Itens filtrados por data: Sexta, 15 Setembro 2017
Sexta, 15 Setembro 2017 23:07 Publicado em Literatura


Você com certeza já ouviu falar em literatura de cordel, não é mesmo?
A literatura de cordel se disseminou no Brasil por volta do séc. XIX. Trazida pelos portugueses, esse gênero textual se adaptou e se espalhou pelo Brasil, mais precisamente na região nordeste. Esta maneira de fazer poesia se adequou a realidade brasileira e com o passar das décadas passou a ganhar novas faces. Comunicava casos, notícias e arte em poesia de determinadas cidades. Também, inspirou outras formas de arte como o roteiro de novelas televisionadas, como a obra de Dias Gomes: Saramandaia, inspirada no romance de Cordel, Pavão Misterioso.
A literatura de Cordel é mais evidente e também produzida até os dias atuais, na região do nordeste do Brasil. Mas, é possível encontrá-las também nos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.
Caracterizada pela xilogravura, esta arte se tornou particular em comparação a outros tipos de poesias. O nome “cordel”  é pelo fato de que, em tempos antigos, os folhetos eram expostos em cordões para serem vendidos nas feiras populares.
Antigamente, em especial na região do nordeste, os cordéis eram também recitados em praça pública em forma de canção. Hoje, essa maneira de fazer poesia de cordel tomou novas estradas. As recitações tornaram-se o repente: canção rápida e de rima improvisada, sobre determinados aspectos de tempo, espaço, personagens e situações.
Existe muita história, em muito mais que 500 anos de literatura de cordel. Vamos agora, mergulhar um pouco na história, conhecer como e onde surgiu este gênero literário e como chegou até nós.
Vamos conhecer também como são estruturadas as rimas e onde encontrar a literatura de cordel gratuitamente, online. Preparada(o) para essa viagem ao tempo? Vamos lá!
Como surgiu a literatura de Cordel?

Sexta, 15 Setembro 2017 22:59 Publicado em Notícias

Quando o assunto é faculdades e instituições de ensino superior, o termo “Reconhecido pelo MEC” aparece. Mas o que isso quer dizer exatamente?

Sempre que uma faculdade, centro universitário ou universidade decide abrir um curso superior, este curso precisa ser completamente avaliado pelo Ministério da Educação (MEC). O MEC precisa avaliar a qualidade do curso que está sendo oferecido pela instituição de ensino antes de liberar a abertura do mesmo. O MEC também avalia as instituições de ensino como um todo, gerando notas que vão desde insuficiente até positivas.
Como o MEC avalia as faculdades?
Atualmente, as instituições de ensino superior (sejam públicas ou privadas) devem ser avaliadas pelo MEC a partir de dois conceitos:
Índice Geral de Cursos (IGC) – Este é um índice calculado através de todos os cursos de graduação e pós-graduação em uma média ponderada.
Conceito Institucional (CI) – O conceito institucional é feito através de uma visita à instituição de ensino. Nesta visita é analisada toda a estrutura das instalações físicas da faculdade, além do Plano de Desenvolvimento Institucional, a gestão e as políticas de Recursos Humanos.
Através destes dois conceitos são atribuídas notas que vão de 1 a 5, onde 5 é a nota máxima, 3 é considerada positiva e notas 1 e 2 são insatisfatórias.

Calendário

« Setembro 2017 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
        1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30  

Sobre o Autor

  • José Roberto Duarte, iguatuense, professor do ensino básico, formado em Letras pela Universidade Estadual do…

Parceiros