Escrito por Terça, 01 Novembro 2016 Publicado em Notícias

*David Stacciarini

“Uma vez aprovada à nova regra, caberá à sociedade, por meio de seus representantes no parlamento, alocar os recursos entre os diversos programas públicos, respeitando o teto de gastos. Vale lembrar que o descontrole fiscal a que chegamos não é problema de um único Poder, ministério ou partido político. É um problema do país! E todo o país terá que colaborar para solucioná-lo.” Assim termina a proposta da PEC 241 pelo Henrique de Campos Meirelles (Ministro da Fazenda) e Diego Henrique Oliveira (Min. Ministério do Planejamento).

O Conselho Deliberativo da Fiocruz, a Fundação Oswaldo Cruz, instituição estratégica do Estado para a ciência e a tecnologia em saúde, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Rede Brasileira de Escolas de Saúde Pública (RedEscola), Secretaria de Saúde de inúmeros municípios e estados, professores de Medicina de inúmeras universidades respeitadas no Brasil, como também o próprio ex-ministro da saúde José Gomes Temporão, vetam a aprovação da PEC 241/16. Mas qual o motivo?

Escrito por Terça, 01 Novembro 2016 Publicado em Notícias

*Luiz Carlos Borges da Silveira

É consenso nacional que a política brasileira tem baixo conceito e quase nenhuma credibilidade junto à sociedade. Não precisa ser cientista político para perceber, basta ser um cidadão atento e razoavelmente informado. A questão é: por que isso é assim há tanto tempo e não muda? Acredito que em parte se deve à legislação (por isso a reforma política é pauta permanente) e também pela deterioração do sistema e do caráter da maioria que entra na vida pública. Política, no Brasil, é sinônimo de carreirismo, de profissão. Disso decorre boa parte dos problemas que afetam a própria política e ricochetam no país, na população.

A grande maioria dos políticos é formada de carreiristas de pouco espírito público e muito de interesse pessoal. Quem entra prova o gosto do poder e das regalias e não sai mais. E para permanecer faz todos os esforços possíveis, até alguns nada decentes, como temos visto. Assim se formam os caciques, donos de partidos, influentes em qualquer governo.

Parlamentares que acumulam há décadas mandatos e montam esquemas tão duradouros e poderosos que se alguma liderança nova quiser enfrentá-los desiste. A força é desigual, os políticos profissionais sempre têm grandes recursos para gastar em uma eleição, mesmo que tal investimento nunca seja coberto com os subsídios recebidos durante o mandato, o que é no mínimo suspeito. Então, essa situação prejudica e até impede a renovação.

Escrito por Terça, 01 Novembro 2016 Publicado em Notícias

As multas de trânsito vão ficar mais caras a partir de hoje, 01 de novembro, pois entra em vigor a lei Nº 13.281, de 4 de maio de 2016, sancionada pela presidente Dilma Rousseff. Com os novos valores, as infrações leves passarão a cobrar R$ 88,38 frente aos R$ 53,20 válidos atualmente. Já as multas gravíssimas, as mais caras, passarão de R$ 191,54 para R$ 293,47. O último reajuste geral aconteceu em 2002 e, desde então, foram feitas apenas alterações em algumas infrações específicas consideradas mais perigosas. Vale destacar que certas infrações gravíssimas têm incidência do fator multiplicador por dois, três, cinco ou até por dez, elevando assim os valores para até R$ 2.934,70. 

É o caso, por exemplo, de se recusar a fazer o teste do bafômetro, incluído agora na legislação brasileira. Recusar-se a fazer "teste, exame clínico, perícia ou outro procedimento que permita certificar influência de álcool ou outra substância psicoativa" vira infração gravíssima com o valor da multa multiplicado por dez, mais suspensão do direito de dirigir por 12 meses, recolhimento do documento de habilitação e retenção do veículo. E se houver reincidência no prazo de 12 meses a multa dobra, indo a R$ 5.869,40.

Usar celular virou infração gravíssima

Escrito por Terça, 01 Novembro 2016 Publicado em Notícias

Além de alterar os limites de velocidade em estradas e rodovias e os valores das multas, a lei Nº 13.281, que entra em vigor a partir do dia 1º de novembro, determina que rodar sem o documento do veículo não necessariamente renderá uma multa ao proprietário. Segundo o artigo 133, o porte do documento do veículo, o Certificado de Licenciamento Anual, "será dispensado quando, no momento da fiscalização, for possível ter acesso ao devido sistema informatizado para verificar se o veículo está licenciado". Sendo assim, o proprietário acabaria sendo punido se, por qualquer razão, o sistema estiver fora do ar ou o fiscal que fizer a abordagem não conseguir acessá-lo. Procurado, o Ministério das Cidades não respondeu aos questionamentos sobre esse assunto até a publicação desta reportagem.

Vale lembrar que isso não isenta a obrigatoriedade de portar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) válida. Dirigir sem estar com a CNH ou o documento do veículo é infração leve, sujeita a multa de R$ 53,20 e mais três pontos na habilitação, além de o veículo ficar retido no local até a apresentação dos mesmos. Contudo, dirigir sem possuir CNH ou com o documento suspenso é infração gravíssima, com multa de R$ 191,54 e sete pontos na CNH. Os valores citados acima serão reajustados a partir de 1 de novembro. 

Escrito por Terça, 01 Novembro 2016 Publicado em Notícias

Falta menos de uma semana para a realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), porta de entrada para muitos jovens em universidades públicas e privadas. Toda uma vida escolar será avaliada em duas tardes, sob a pressão do tempo, das cobranças internas e externas e de muita ansiedade. “O rendimento cerebral no dia de uma prova como o Enem é exigido de forma complexa e abrangente. Controle emocional, foco, capacidade de evocação (de memorização), estratégia, raciocínio lógico, criatividade e rapidez são as modalidades cognitivas mais importantes nessa hora”, explica o médico neurologista Leandro Teles em seu livro “Antes que eu me esqueça”, lançado pela editora Alaúde. Para o médico, essa missão é uma verdadeira maratona mental: “Não basta estar preparado; é fundamental conseguir acessar a informação com segurança, velocidade e não oscilar no transcorrer da prova”, afirma.

Para ajudar os estudantes neste momento tão importante, o doutor Leandro listou algumas dicas em seu livro com o intuito de auxiliá-los no processo de memorização e garantir uma boa performance no dia da prova.

Confira:

Controle emocional: “A adrenalina e o medo do fracasso ajudam o cérebro na motivação e no foco. O problema é a dose! Excesso de tensão e ansiedade elevam o risco de cometer erros bobos, dificultam a percepção de detalhes e provocam os temidos brancos”, explica o médico. Para ele, na hora H, o estudante precisa apenas responder com tranquilidade, e não ficar martelando que é o evento mais importante da sua vida e que você não pode falhar. “Isso não ajuda a encontrar a resposta correta de nenhuma questão”.

Escrito por Segunda, 08 Agosto 2016 Publicado em Notícias

*Ana Regina Caminha Braga

Renato no primeiro dia fez a integração da turma e os alunos interagiram neste primeiro momento com sua mediação, pois ainda não se conheciam o suficiente para lidar com esta dinâmica. Na segunda semana de aula, o professor identificou que uma aluna não tem facilidade com a disciplina de matemática e para investigar melhor algumas providências devem ser tomadas. Quais são as possíveis orientações e observações a serem evidenciadas neste caso?

O aluno em si requer da escola uma estrutura física e também de cunho pedagógico dos profissionais que o recebem no sentido de chegar à escola com uma bagagem e noção de pequenas relações do mundo já realizadas, pois seu primeiro contato é com a mãe, ou seja, sua família e parente e ao ingressar na caminhada educacional já possui um conhecimento prévio, o qual faz parte do seu meio social, da sua realidade articulado com seus valores e princípios.

Calendário

« Junho 2017 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30    

Sobre o Autor

  • José Roberto Duarte, iguatuense, professor do ensino básico, formado em Letras pela Universidade Estadual do…

Parceiros